viagens pela paisagem que me é próxima e interior, viagens por filmes, viagens de aquém e além mar
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

.pesquisar

 

.viagens recentes

. Comida e fotografia

. tubos

. Avaliação da qualidade na...

. No paraíso ano após ano

. Férias floridas

. Primavera

. jarro

. flor 2

. flor

. Clorofila

. Primavera

. Martinha

. Fly fishing ou a imagem d...

. ... e o paraíso continua ...

. Blawenburg Band em Hopewe...

. Sporting vence torneio Ba...

. Alvor

. Por Cascais e Sintra

. Festival de Jazz de Monte...

. Com neve na praia

. De Berlim, com amor

. Será que a crise nos veio...

. Berlin - bald bin ich da!

. Os nossos dias voltarão a...

. Grounds for Sculpture

. Phila

. mais uma foto do paraíso

.arquivos

. Setembro 2012

. Março 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

blogs SAPO

.links

Segunda-feira, 30 de Outubro de 2006

Nova Iorque


Nova Iorque, 2002 © Margarida Quinteiro

Hoje é um daqueles dias em que me apetecia estar em Nova Iorque, mesmo que fosse num daqueles hotéis manhosos em que a casa de banho do rés-do-chão serve de garagem.

publicado por mq às 15:39

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 25 de Outubro de 2006

Natasha - o filme

No próximo sábado, 28, no Teatro Angrense, pelas 16:00, poderão assistir ao fime NATASHA, do realizador sérvio Ljubisa Samardzic. É mais uma iniciativa da CAH - Cine Angra do Heroísmo, com o apoio do ICAM e Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

Realizador - Ljubisa Samardzic;
Argumento - Srdjan Koljevic;
Cinematografia – Rade Vladic;
Música – Yoran Eric;
Com – Tijana Kondic, Nikola Djuricko, Anica Dobra, Dragan Bjelogrlic,
Boris Milivojevic, Ljubisa Samardzic;
Produção: Cinema Design, BelgradoRepública da Sérvia, 35mm, cor, 92 min
Classificação: M/16




Sinopse

Natasha tem 17 anos. O seu pai, um inspector da polícia, é misteriosamente assassinado.

Um ano mais tarde, em plena queda do regime, determinada a descobrir a verdade, ela lança-se na procura cega dos assassinos. Atormentada pelos seus sentimentos amorosos por Marko, um livreiro casado, e pela protecção inesperada de Kiza, um criminoso local, Natasha está longe de se aperceber que a sua vingança de criança se transforma numa aventura perigosa.

Marko e Kiza vão, cada um à sua maneira, tentar protegê-la da avalanche de acontecimentos que ela provoca...

Festivais

Premiado nos Festivais Internacionais de Cinema de Albena, Avanca, Pula e Roma.
NATASHA foi nomeado nos festivais do Cairo, Londres, Montpellier, Palm Springs, Sofia, Tessalónica, Varsóvia, etc.


A crítica

“Em tempo de caos, só as mentiras sobrevivem. Na batalha do amor e crime, uma morte é a vencedora”

- NATASHA em “Guardian”, Londres.


 Ljubisa Samardzic

Actor, realizador e produtor, Ljubisa Samardzic nasceu em Skopje em 1936. Após o curso de Arte Dramática de Bojan Stupica, na Academia de Teatro de Belgrado, experimenta o teatro, mas rapidamente opta pelo cinema e torna-se um dos mais célebres actores do cinema Jugoslavo. Em 1967, recebe o prémio de melhor actor no Festival de Veneza pela sua interpretação no filme Jutro de Purisa Dordevic.

Após a desintegração da Jugoslávia em vários estados, funda uma produtora com o filho Dragan e produz em 1996 Ubistvo S Predumisljajem (Premeditated Murder) de Goran Stojanovic. Nebeska Udica (Sky Hook) (1999), a sua primeira longa metragem, obteve o Prémio do Público no Festival de Montpellier 2000. Filma em seguida Natasha (2001) e Ledina (Bare Ground) (2003). Jesen Stize, Dunjo Moja (Goose Feather)(2004) é o seu quarto filme.


publicado por mq às 20:17

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 23 de Outubro de 2006

Malta (13) Igrejas

Já perdi a conta a todas as igrejas, templos e pagodes que visitei durante as minhas viagens.


São, seguramente, às dezenas e chegarão às centenas se continuar a percorrer o mundo. Marcas do tempo, da arquitectura e da religiosidade, estes locais são óptimos para, além da visita e contacto com a arte, descansarmos.



São frescos no Verão, não têm ruído; os muitos turistas, quando os há, tentam não falar na casa de Deus, e assim se pode passar um bom bocado a descansar, a escrever, a ler, a reflectir.


Em Malta e Gozo visitei catedrais, co-catedrais, igrejas, capelas. São monumentos imponentes, quase todos barrocos com predomínio de mármore e frescos no interior.

 
As lajes das sepulturas no chão dão-lhe um colorido fora do comum.



publicado por mq às 19:48

link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 19 de Outubro de 2006

Ellektra - o filme

Inserido no Ciclo de Cinema organizado pela CAH - Cine Angra do Heroísmo, será projectado no próximo sábado, 21, pelas 16:00, no Teatro Angrense, a curta metragem VIOLA DA TERRA e o filme ELLEKTRA, do realizador belga Rudolf Mestdagh.

 

Sinopse
Depois de um trágico acidente, várias pessoas perdem o seu dom natural. Debaixo do misterioso nome ELLEKTRA, em mensagens SMS, uma jovem reúne estas pessoas e procura consolá-las.

Por causa destes acidentes fatais, 5 pessoas perdem o seu amor à vida. Um DJ fica surdo, uma perfumista perde o odor, todos perdem o sentido da sua vida, incluindo Sam. A filha de Sam morreu depois de um trágico acidente de carro e a mãe tornou-se toxicodependente, mas ao encontrar a misteriosa Ellen (de 16 anos de idade), ela ganha um novo alento. Pouco a pouco, Sam reconhece que o destino de Ellen é ajudar as pessoas.

As perdas de uns podem compensar os dons de outros. Juntos crescem mais fortes e dão um novo rumo às suas vidas.

Evocando outros filmes negros como “Amores Perros” e “Magnólia”, inspirado nos pesadelos poéticos ao jeito de Lynch, no romantismo tragicómico de Jeunet e nas personagens caricatas/surpreendentes de Almodôvar, eis o mundo surrealista de Ellektra.

ELLEKTRA nos festivais
Distinguido com 9 prémios nos festivais internacionais de Avanca, B-M New York, Cyprus, Syracuse e Southampton, ELLEKTRA foi também exibido nos festivais de Ghent, Saarbrucken, Slamdance, Malibu, Moscovo, St. Petersburg, Calgary, Edmonton, Bogotá, Mil Valley,...

Ficha Técnica
Realização: Rudolf Mestdagh
Intérpretes: Gert Portael, Axelle Red, Matthias Schoenaerts, Cathérine Kools, Serge Henri Valcke, Han Kerckhoffs
Bélgica, 2004
Género: Comédia dramática
Duração: 103 min.
Classificação: M/12


Rudolf Mestdagh

Produtor, realizador e argumentista, Mestdagh nasceu em Bruxelas em 1965.
Estudou produção e realização na Academia do Filme de Bruxelas e literatura e argumento na Universidade Livre de Bruxelas.

A sua formação de produção passou ainda pelo Media Business School e pelo EAVE, ambos integrantes do programa comunitário Media Plus.
Fundou duas companhias de produção, das quais a “Cosmokino” é a responsável pelo seu filme “Ellektra”, longa-metragem distinguida no AVANCA’05.

As suas primeiras curtas-metragens valeram-lhe várias distinções, nomeadamente “Robokip” que integrando a selecção oficial, terminou distinguida com o “Platteauprize” para a melhor curta-metragem do Festival de Cinema de Cannes em 1993. Entre outros festivais, os seus filmes foram premiados em Oakland, Columbus, Rochester, Mons e Bruxelas.

Também os seus filmes publicitários foram premiados, nomeadamente com a “Bronze World Medal” do “New York Advertising Festival” e “shortlisted” em Cannes.
Nos últimos anos, Mestdagh tem estado envolvido na co-produção de vários projectos internacionais de longa-metragem.

 


publicado por mq às 15:19

link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 17 de Outubro de 2006

Malta (12) Gozo

O Templo Pré-histórico Ggantija, para além de ser o mais antigo de Malta é também a mais velha estrutura ainda de pé do mundo. Foi construído cerca de 3600 anos BC e algumas das maiores pedras têm 6 m de altura e pesam mais de 20 toneladas.

O moinho Ta’ Kola, transformado em museu, remonta a 1725 e alberga várias peças do passado recente da aldeia onde se localiza – Xaghra.

Lawrenz deixa-nos junto ao Templo, indica-nos como se vai dali até ao moinho e promete que nos recolhe dali a 1:15. Nada informa sobre o belo largo da aldeia e a sua bonita igreja.

Valho-me do meu guia AA e visito o centro. Xaghra é uma pequena aldeia com uma típica praça, onde se podem encontrar as tradicionais lojas, esplanadas, cabina telefónica vermelha e caixa de correio.

 

Lawrenz regressa ao moinho 1:45 mais tarde, onde o grupo o aguarda já enfastiado e acalorado, para nos levar directamente ao cais. Se o local de espera tivesse sido na praça ali poderiam ter tomado um refresco. Pede desculpa pelo atraso, carrega no acelerado ao fundo até ao barco, diz que fez o seu melhor e despede-se tilintando umas moedas entre os dedos para atrair as suas semelhantes.


Fez, sem dúvida o seu melhor, só que não foi o suficiente para mim e certamente para os outros que embarcaram nesta excursão de “salta pocinhas e depois fica ao sol à minha espera.”


publicado por mq às 20:57

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006

Malta (11) Gozo

Lawrenz lamenta continuamente o facto de não termos chegado no ferry anterior. Essa hora a menos levá-lo-á a acelerar para podermos ver o essencial da sua "beautiful island ”.



Da parte da manhã, visitamos a imponente basílica Ta’ Pinu, santuário nacional, onde se deslocou o Papa João Paulo II, localizada no meio do nada, e o Museu Popular em Gharb, com uma completa colecção de objectos e memórias da vida da ilha no século XIX e início de XX. São 28 quartos completamente cheios de alfaias, faiança, veículos e até um presépio, entre tudo o que foi possível recolher nos sótãos das famílias de Gozo.

 

Após o almoço leva-nos a uma daqueles enormes lojas recheadas de artigos locais para venda a turistas, e parece não ter pressa - a comissão, a receber mais tarde, assim o permite.

Em Gozo, ainda segundo Lawrenz , 12% da população é católica. Ele ama a Deus acima de tudo, depois a família, em 3.º lugar o mundo, onde se incluem todos nós os que vamos naquele miniautocarro.

De tarde passamos por Dwejra Point para ver a fabulosa Janela Azul (Azur Window ), caminhar pelas rochas, saborear um gelado. Na verdade já tínhamos passado por aquela estrada da parte da manhã. Começo a pensar se não teria sido mais acertado visitarmos a Basílica e a Janela de uma assentada.

Victoria ou Rabat (em árabe, subúrbio), como é mais conhecida, é a imponente cidadela no centro da ilha com as não menos deslumbrantes Basílica de S. Jorge e Catedral. Lawrenz dá-nos 30 minutos para visitarmos a capital da sua bonita ilha e após 20 minutos já está a chamar-nos para seguirmos até ao Templo Pré-histórico Ggantija e ao moinho Ta’ Kola.



publicado por mq às 15:42

link do post | comentar | favorito

Domingo, 8 de Outubro de 2006

Malta (10) Gozo

Gozo é a segunda maior ilha do país. Para lá se chegar, apanha-se o enorme ferry em Cirkewwa, na ponta noroeste de Malta, e após 30 minutos atraca-se em Mgarr, onde carrinhas de 9 lugares aguardam os passageiros com reservas de visitas guiadas para uma ou mais voltas.


Sou a última a chegar ao veículo e resta-me o lugar do morto ao lado esquerdo do motorista, que dá pelo nome de Lawrenz .


Lawrenz deve aproximar-se dos 50 anos e é um autodidacta que guia turistas há 10 anos, tendo aprendido inglês com eles. Nota-se, mas faz-se entender com grande facilidade. Repete insistentemente a palavra "beautiful” para descrever a sua ilha. Sem evidente formação como guia, conta a história da sua terra, gentes e lugares com profunda paixão e afirma querer que este dia seja o seu melhor como guia turístico.


Almoço no Sea Shells, um dos primeiros restaurantes à entrada da cidade. Escolho o famoso prato de peixe grelhado com molho maltês (tomate e outros). Em cima do balcão 2 garrafões de vinho branco e tinto, são servidos ao copo. Peço um de tinto para provar um dos produtos da terra. É leve, pouco encorpado, com um bouquet agradável. Será já o produto das vinhas importadas de Portugal, de que Lawrenz falou?

Segundo ele, Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido, Alemanha, França, estão a ajudar Malta - depreendo que decorra da entrada recente deste país para a UE -, daqui a 10 anos estarão eles a ajudar-nos, tal como o fizeram no passado por ocasião de diversas guerras. Aguardamos a ajuda, Portugal precisa de tudo o que vier, sejam eles cavaleiros de S. João, da Ordem de Malta ou outros.

tags: ,

publicado por mq às 11:32

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 6 de Outubro de 2006

Angra - no centro do jazz


publicado por mq às 13:16

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 3 de Outubro de 2006

Malfurada





publicado por mq às 21:17

link do post | comentar | favorito

Domingo, 1 de Outubro de 2006

Dia Mundial da Música



Maria João e Mário Laginha no CCC Angra do Heroísmo



publicado por mq às 13:09

link do post | comentar | favorito