viagens pela paisagem que me é próxima e interior, viagens por filmes, viagens de aquém e além mar
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

.pesquisar

 

.viagens recentes

. Comida e fotografia

. tubos

. Avaliação da qualidade na...

. No paraíso ano após ano

. Férias floridas

. Primavera

. jarro

. flor 2

. flor

. Clorofila

. Primavera

. Martinha

. Fly fishing ou a imagem d...

. ... e o paraíso continua ...

. Blawenburg Band em Hopewe...

. Sporting vence torneio Ba...

. Alvor

. Por Cascais e Sintra

. Festival de Jazz de Monte...

. Com neve na praia

. De Berlim, com amor

. Será que a crise nos veio...

. Berlin - bald bin ich da!

. Os nossos dias voltarão a...

. Grounds for Sculpture

. Phila

. mais uma foto do paraíso

.arquivos

. Setembro 2012

. Março 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

blogs SAPO

.links

Terça-feira, 1 de Dezembro de 2009

Berlin - bald bin ich da!

Saí de Berlim pelas 10 horas de uma manhã de Agosto de 1996 com destino a Lisboa. Agarrei no meu carro e deixei para atrás duas cidades em reunificação. Nunca mais lá voltei. Preparo ansiosamente o regresso para o fim de Dezembro para celebrar 2009 e sonhar com um 2010 ainda melhor, naquela que é considerada uma das maiores festas de passagem de ano ao ar livre do mundo.

 

Cheguei pela primeira vez a Berlim em Outubro de 1994, um mês antes da celebração dos cinco anos da queda do muro, mas ainda eram notórias as diferenças económicas, arquitectónicas, sociais e culturais entre o lado ocidental e o oriental.

 

A cidade fervilhava de mudança - em Potsdamer Platz encontrava-se o maior estaleiro da Europa, com dezenas de edifícios a serem construídos naquela que tinha sido antes da II Guerra uma das praças com mais trânsito do Velho Continente, transformada no período da Guerra Fria num extenso terreno árido onde só brotava o arame farpado e o famigerado muro. Cinquenta anos depois, finalmente, reconstruía-se o centro de Berlim, em Mitte, que significa centro. O Reichstag (Parlamento Alemão) recebia uma cúpula, hoje visita obrigatória para turistas que querem desfrutar uma vista soberba sobre a capital, e em breve viria a receber os Parlamentares alemães; as estações de metro do lado oriental estavam a ser reabertas e recuperadas, depois de estarem fechadas durante décadas; a parte oriental ganhava cor nos edifícios desbotados das construções pré-fabricadas da RDA e dos prédios setecentistas e oitocentistas que sobreviveram às guerras; estes eram também objecto de restauro e de aquisição ou de aluguer de muitos ocidentais, que pelo seu poder de compra se iam apropriando de muitos apartamentos e edifícios, perante o descontentamento dos ex-habitantes da Alemanha Democrática. O desencanto e a contestação começavam a sentir-se e a nostalgia da "velha" Alemanha Democrática começa a ser notória.

 

A actividade cultural era intensa, nomeadamente a chamada cultura underground, que prosperava nos velhos edifícios abandonados e ocupados nas zonas mais degradadas de Berlim.

 

Hoje, os folhetos e guias de Berlim vendem-nos uma cidade renascida, moderna, criativa, multicultural e com uma enorme aposta na nova arquitectura e design. Em breve, o confirmarei - Berlin, bald bin ich da!

 


publicado por mq às 22:13

link do post | comentar | favorito
|