viagens pela paisagem que me é próxima e interior, viagens por filmes, viagens de aquém e além mar
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

.pesquisar

 

.viagens recentes

. Comida e fotografia

. tubos

. Avaliação da qualidade na...

. No paraíso ano após ano

. Férias floridas

. Primavera

. jarro

. flor 2

. flor

. Clorofila

. Primavera

. Martinha

. Fly fishing ou a imagem d...

. ... e o paraíso continua ...

. Blawenburg Band em Hopewe...

. Sporting vence torneio Ba...

. Alvor

. Por Cascais e Sintra

. Festival de Jazz de Monte...

. Com neve na praia

. De Berlim, com amor

. Será que a crise nos veio...

. Berlin - bald bin ich da!

. Os nossos dias voltarão a...

. Grounds for Sculpture

. Phila

. mais uma foto do paraíso

.arquivos

. Setembro 2012

. Março 2012

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

blogs SAPO

.links

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2012

Comida e fotografia

São só os primeiros passos na árdua mas cativante tarefa de fotografar comida.

 


publicado por mq às 20:02

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 16 de Março de 2012

tubos

Hoje foi um daqueles dias em que tive mesmo de ir dar uma volta para desanuviar antes de recolher a casa. Apesar de não estar tão bonito como durante a semana e de ter andado por lugares, à partida, pouco simpáticos, deparei-me com este órgão de tubos junto de um estaleiro e achei que poderia resultar numa foto.

 

 


publicado por mq às 20:38

link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 18 de Outubro de 2011

Avaliação da qualidade nas escolas

Na semana de 26 de Setembro tive a grande oportunidade de participar numa visita de estudo em Straubing, Baviera, Alemanha. Classifico de grande oportunidade porque foi a primeira vez que estive numa visita da Agência Nacional PROALV - Programa Aprendizagem ao Longo da Vida e do CEDEFOP - European Centre for the Development of Vocational Training, e só posso dizer bem da sua organização, quer do apoio dado em Portugal, quer pelos organizadores em Straubing, que souberam montar um programa diversificado e muito completo.

A visita teve catorze participantes de doze países – Portugal, Espanha (2), França, Bélgica, Reino Unido, Dinamarca, Noruega, Finlândia, Estónia, Hungria, Roménia (2) e Turquia e foi composta essencialmente por:

  • Apresentações dos participantes e dos organizadores e convidados sobre o tema e os sistemas de ensino dos respectivos países;
  • Visitas a escolas e ministério em Straubing, Abensberg, Regensberg e Munique, para assistir a comunicações e para assistência a aulas;
  • Debate sobre sistemas de gestão de qualidade com representantes do Ministério da Educação da Baviera, inspectores, directores de escolas, professores, alunos e director executivo de uma empresa que é parceira na formação profissional;
  • Actividades culturais.

Os participantes apresentaram o sistema de avaliação interna e externa dos seus países/regiões, assim como a organização curricular em vigor. Houve ainda oportunidade para se trocarem informações sobre os respectivos sistemas de ensino, formação e avaliação de professores e avaliação de alunos.

Apesar da diversidade de modelos de país para país, ou mesmo da inexistência de modelos de avaliação interna, nomeadamente em França e Finlândia, foi notória a aproximação de ideias nos princípios orientadores de todos os países. Foi também dado grande ênfase à sustentabilidade dos processos e à necessidade de envolvimento da comunidade escolar e ao empenhamento do dirigente da escola no processo de avaliação interna.

 

 

As visitas às escolas e assistência às aulas proporcionaram aos intervenientes um contacto directo com a realidade das escolas alemãs e as suas práticas, e foi muito gratificante para mim voltar às aulas, desta vez como assistente. Assisti a quatro aulas de Inglês de nível secundário e verifiquei que as metodologias são as que eu utilizo e que os alunos têm um grande domínio da língua Inglesa. O meu colega Espanhol, também ele professor de Inglês, ficou deveras maravilhado com a performance dos alunos e com a disciplina e silêncio que imperava nas aulas e nos corredores.

O grupo foi recebido pelo Presidente da Câmara de Straubing, também ele professor, e que nos deu uma panorâmica do trabalho realizado pela autarquia na área da educação e pelo representante do Ministério da Educação da Baviera, em Munique. Ficámos a saber que a Câmara de Straubing gasta cerca de 20% do seu orçamento na educação. À responsabilidade das Câmaras está a parte dos edifícios e equipamentos.

 

 

A parte cultural foi composta por uma visita guiada de 1 hora à cidade de Straubing; um convívio internacional com comida levada pelos participantes dos diversos países, e a apresentação de um grupo folclórico da região, a visita a uma fábrica de cerveja em Abensberg, e a visita à Festa da Cerveja em Munique, evento que não poderia passar sem a nossa presença.

Uma vez que a visita foi organizada pela Inspecção das Escolas Secundárias Profissionais da Região Leste da Baviera, a informação veiculada foi essencialmente referente a este modelo de ensino. Uma das razões para esta predominância prende-se com o facto de exclusivamente as escolas profissionais estarem  de momento a usar um modelo de avaliação interna, ao contrário da avaliação externa que se realiza em todos os tipos de escolas.

 

Avaliação externa na Baviera

De quatro em quatro anos ou de cinco em cinco anos, cada escola é visitada pela equipa de avaliação externa do Estado da Baviera. Neste momento existem 30 equipas, formadas por 4 professores cada, que se deslocam às escolas e que durante três dias procedem à recolha de informação sobre a escola seguindo um protocolo bem definido, do qual fazem parte inquéritos, entrevistas, assistência a aulas, etc.. Os dados são depois tratados centralmente e é feito um relatório onde são apontados os pontos fortes e fracos da escola. Esse relatório é entregue ao diretor da escola, que assina um documento onde está definido o programa de melhorias calendarizado. Passados alguns anos, normalmente, dois, os serviços inspectivos verificam o progresso da escola. Se não tiver havido melhorias, as visitas à escola passam a ser mais frequentes.

A selecção das escolas é feita de forma aleatória e a escola é informada em Julho que em Outubro vai ter a avaliação externa.

 

Avaliação interna

A avaliação interna, no Estado da Baviera, é neste momento só feita nas escolas profissionais. Uma das razões apontadas para tal prende-se com o facto de estas escolas terem uma relação mais íntima com o universo empresarial e estarem familiarizadas com a avaliação. O modelo de avaliação é o QmbS (Qualitätsmanagement an beruflichen Schulen un Bayern – Gestão da qualidade nas escolas profissionais da Baviera) inspirado no modelo suíço Q2E. Este modelo deu origem a vários modelos de avaliação de escolas na Alemanha.

O QmbS é flexível nas escolas, que podem escolher em que áreas querem proceder à avaliação e que escolhem ou adaptam as ferramentas para o efeito. O modelo tem um guião e centra-se à volta de quatro áreas chave: Avaliação Interna, Feedback individual, Avaliação Externa, Controlo do processo.

 

Avaliação de professores

Os professores são avaliados de quatro em quatro anos pelo director da escola ou seu representante que assiste a uma das aulas. O docente pode obter uma de duas avaliações - lowest ou highest.

Nos últimos dois anos, foi testado um projecto-piloto em algumas escolas da Baviera e que consiste na criação de uma figura intermédia na gestão da escola, a que chamaram de “chefe intermédio”. A escola que visitámos e que está com este projecto tem seis destas figuras num universo de 65 professores, cabendo a cada um deles cerca de 10 professores, normalmente de quatro departamentos diferentes. Estes docentes têm mais poderes que os directores de departamento, uma vez que são uma chefia intermédia na directa dependência do director da escola. Muitas das questões que eram colocadas directamente ao presidente, são agora feitas directamente a estes chefes.

Uma das responsabilidades das chefias intermédias é a verificação das notas dos testes dos alunos dos respectivos professores que estão sob a sua responsabilidade e contribuir, se necessário, para a melhoria destas. Deste modo, o professor chefe assiste às aulas e toma notas sobre as mesmas. O resultado desta assistência às aulas é confidencial e só pode ser divulgado ao presidente se o professor o permitir.

 


publicado por mq às 16:36

link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 29 de Julho de 2011

No paraíso ano após ano


publicado por mq às 22:38

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 4 de Maio de 2011

Férias floridas

Passei as minhas últimas férias a gozar a Primavera e a fotografá-la.

publicado por mq às 23:22

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 25 de Abril de 2011

Primavera


publicado por mq às 16:20

link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 11 de Abril de 2011

jarro

Sempre vi os jarros como umas flores muito pouco comuns, muito fora do padrão, e talvez por isso os tenha colocado num patamar acima das flores ditas normais.

 

 

 

 


publicado por mq às 20:32

link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 6 de Abril de 2011

flor 2

 

 

 


publicado por mq às 22:35

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 2 de Abril de 2011

flor

 

 

 


publicado por mq às 19:31

link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 26 de Março de 2011

Clorofila

 

 


publicado por mq às 17:44

link do post | comentar | favorito
|